Fumaçando quando esquenta e luz de injeção acendeu

Tudo sobre motores em geral, injeção eletronica, etc.
Moderadores: andre pirituba, SemControle, Organizadores do Fórum
Responder
Publicidade
Franz
:: Wind ::
Mensagens: 42
Registrado em: Sábado 01 2017f Julho 2017 02:11:44 AM
Localização: Ribeirão Pires - SP
Modelo do veiculo: CORSA WIND 1.0 EFI 2P
Ano de fabricação: 1995

Mensagem por Franz »

Bange escreveu:hummm....

Problema citado: fumaça branca na descarga e luz da injeção acendendo.
Solução: mangueira do anti-chamas rasgada, foi substituída.

Não me parece lógico...não faz sentido.
Faz sentido, o óleo causou uma mistura muito rica por muito tempo e com isso a lambda ficou travada em mistura rica por muito tempo também. A injeção mudou ajustes de mistura no limite e como não surtiu efeito, é caracterizado um código de erro de mistura rica ou perda de comunicação com a lambda, logo os valores produzidos por ela são descartados e a luz acende.


Publicidade

Franz
:: Wind ::
Mensagens: 42
Registrado em: Sábado 01 2017f Julho 2017 02:11:44 AM
Localização: Ribeirão Pires - SP
Modelo do veiculo: CORSA WIND 1.0 EFI 2P
Ano de fabricação: 1995

Mensagem por Franz »

Bange escreveu:hummm....

Problema citado: fumaça branca na descarga e luz da injeção acendendo.
Solução: mangueira do anti-chamas rasgada, foi substituída.

Não me parece lógico...não faz sentido.
Faz sentido, o óleo causou uma mistura muito rica por muito tempo e com isso a lambda ficou travada em mistura rica por muito tempo também. A injeção mudou ajustes de mistura no limite e como não surtiu efeito, é caracterizado um código de erro de mistura rica ou perda de comunicação com a lambda, logo os valores produzidos por ela são descartados e a luz acende.


Publicidade

Bange
:: Moderador ::
Mensagens: 4148
Registrado em: Terça-feira 29 2013f Outubro 2013 06:47:34 PM
Localização: Rio de Janeiro - RJ
Modelo do veiculo: CORSA WAGON GLS 1.6 MPFI
Ano de fabricação: 1997

Mensagem por Bange »

Bom, pelo relato dele...
1 - O motor fuma e as possíveis causas são:
a - Folga nos anéis
b - Retentores das válvulas sem eficiência
c - Motor muito aquecido, vaporizando muito óleo pelo anti-chamas para a admissão

2 - Luz da injeção acendendo, causas:
Alarme desconhecido por falta de leitura

3 - Óleo sendo cuspido pela vareta, causas:
a - Passagem de muita pressão pelos anéis (folga)
b - Anti-chamas obstruído

Sem a leitura do alarme, nada se pode afirmar sobre a Lambda estar lendo rica, pobre ou sendo ignorada pela ECU.
Se a mangueia do anti-chamas estava rasgada, os vapores não iam para a admissão... logo não seria a causa da fumaça no escapamento e isto ainda causaria muito mau cheiro e desconforto (não relatado), pelos gases do óleo.
Se a mangueira do anti-chamas estava rasgada após um possível entupimento, causaria espirrar óleo, mas não a fumaça na descarga.
Se a mangueira do anti-chamas estava rasgada antes de um possível entupimento, tem mau cheiro, não tem óleo espirrando e nem fumaça.

...logo a mangueira rasgada ou não, não é a causa da fumaça.

Suponto que o problema seja apenas 1-c, logo logo voltará a fumaçar
Supondo problema 3-b, a troca da mangueira resolveu, porém não justifica a fumaça.

Pra mim a coisa ainda não está resolvida em sua causa raiz.


Publicidade

Guilherme8412
:: Wind ::
Mensagens: 12
Registrado em: Terça-feira 25 2017f Julho 2017 08:56:10 AM
Localização: Vespasiano - MG
Modelo do veiculo: CORSA SUPER 1.0 MPFI 4P
Ano de fabricação: 2000

Mensagem por Guilherme8412 »

boa tarde pessoal eu também não entendi pois o mal cheiro que vocês mencionaram não existe aqui
eu sou leigo não entendo nada então não posso explicar mas foi isso que aconteceu a troca da mangueira resolveu o problema o que não me intriga e que tem um tutorial aqui no fórum da qual direi essa imagem que ensina a por o respiro do óleo no corsa 16v e usa essa mangueira com um filtro na ponta
mas como? no meu quando tira a mangueira começa a fumaçar :/
???????
talvez possa ser outro problema e a mangueira esconde a questão sei la


Publicidade

Bange
:: Moderador ::
Mensagens: 4148
Registrado em: Terça-feira 29 2013f Outubro 2013 06:47:34 PM
Localização: Rio de Janeiro - RJ
Modelo do veiculo: CORSA WAGON GLS 1.6 MPFI
Ano de fabricação: 1997

Mensagem por Bange »

Em todo motor de combustão interna, como o dos automóveis comuns, a vedação da camisa dos cilindros com o anéis NÃO é perfeita...sendo máxima em um motor zero e diminuindo na razão direta do uso (que também depende das manutenções preventivas e trocas corretas do lubrificante), isto quer dizer que mesmo em um motor bem mantido, em algum momento do futuro a vedação será tão ruim que será necessário um trabalho de retifica (com trocas de anéis e/ou cilindros), para que a eficiência volte a patamares normais. A eficiência da potência do motor também é dependente de uma boa vedação entre anéis e cilindros, sem tal vedação a perda é inevitável, assim como a fumaça no escapamento (sem considerar outros fatores).

Sendo uma realidade a perda progressiva de tal vedação, caso o motor fosse lacrado (sem a saída do anti-chamas), ocorreria um aumento na pressão interna do motor a ponto de estourar vedações como a do cárter, da bomba de óleo, retentores dos eixos do VB, comando etc...

O simples fato do motor esquentar em condições normais, por si só já cria certa pressão, pois o líquido refrigerante (o óleo), tende a se vaporizar e com isto a pressão ocorre, pouca, mas ocorre.

No passado remoto, existia apenas uma saída de vapores...e tais vapores além de não serem agradáveis pelo cheiro também poluem o nosso ar...daí então surgiu a ideia de se conectar (jogar) tais vapores para a admissão, primeiramente com o propósito de auxiliar na lubrificação das hastes das válvulas, pois mesmo na forma de vapor ainda existe uma ação de lubrificante...e também foi um procedimento para a eliminação dos odores...houve uma fase curta onde passavam por filtros com óleo, mas no final iam para o meio ambiente...

Em alguns projetos de motor, ocorria uma explosão antes dos cilindros, pois tais vapores de óleo também vinham acompanhados de combustível que não queimou na câmara...a solução para isto foi a adoção do anti-chamas, que hoje varia de fabricante para fabricante quanto ao ponto em que é adotado (dentro da mangueira, dentro da tampa do cabeçote, etc...).

Hoje devido as leis do meio ambiente, é obrigatório que tais vapores (gases), sejam queimados dentro do próprio motor...daí a conexão por mangueira entre a tampa do cabeçote/tuchos, com a admissão.

Então eu afirmo que a mangueira não é a causa de fumaça no escapamento....esteja ela rasgada ou entupida.

O que pode estar ocorrendo é que a mangueira velha estava tão impregnada com óleo (em excesso) melequento, que ao invés de ir para a admissão na forma de vapor, estava indo em gotejos e causando a fumaça...mas se existe excesso de óleo ali, existe excesso de pressão por falha na vedação dos cilindros com os anéis ...ou o motor está trabalhando em temperatura muito quente, fervendo o óleo e aumentando a vaporização, que acumula na mangueira/anti-chamas, vira meleca e causando a mesma consequência com a fumaça.

Se nada mais for mudado, daqui a algum tempo a fumaça retornará.


Publicidade

Responder

Voltar para “Manutenção”

Publicidade