[TUTORIAL] - O que Será o Ponto?

Faça você mesmo as instalações e manutenções em o seu Corsa.

Moderadores: andre pirituba, SemControle, Organizadores do Fórum

Avatar do usuário
Wilson
:: Administrador ::
Mensagens: 2273
Registrado em: Segunda-feira 03rd 2003f Novembro 2003 04:50:44 PM
Localização: São Paulo - SP
Modelo do veiculo: CORSA GSI 16V
Ano de fabricação: 1996
Contato:

[TUTORIAL] - O que Será o Ponto?

Mensagempor Wilson » Terça-feira 05th 2011f Abril 2011 10:23:19 PM

Em condições normais, assim se processa a combustão, ou queima da mistura ar-combustível, que propicia o movimento do veículo: no final do ciclo de compressão do pistão é emitida a faísca da vela; a mistura inflama-se e a chama percorre gradualmente toda a câmara de combustão; os gases da queima então empurram o pistão para baixo, acionando a biela e o virabrequim, de modo a impelir o motor.

Quando algo não está dentro das especificações -- taxa de compressão muito elevada, ponto de ignição muito avançado, vela incorreta ou combustível de baixa qualidade, por exemplo --, a chama propaga-se de modo desordenado, o que eleva subitamente a pressão e a temperatura na câmara de combustão. Surge então uma combustão espontânea, uma segunda chama em outro ponto da câmara. Ao chocar-se com a chama original, gerada pela vela, a segunda chama provoca um ruído metálico ("grilo") que se assemelha ao de bolinhas de gude dentro de um copo. É a detonação ou, no vocabulário comum, "batida de pino" -- um termo equivocado, pois não há pinos para bater no interior do motor.

A detonação causa prejuízos ao produzir um deslocamento mais rápido dos gases da combustão, que se chocam contra os extremos da câmara e geram calor. Se a detonação persiste por algum tempo, a elevação de temperatura dos componentes pode levar a uma trinca no cabeçote, um furo na cabeça do pistão ou à fundição do cilindro.

Além da conservação de características equilibradas do motor, através de manutenção regular e, se for o caso, uma preparação feita com critérios, a detonação pode ser prevenida com alguns cuidados. Deve-se evitar a aceleração a fundo em baixas rotações sempre que houver maior risco, como ao subir uma serra litorânea (a maior pressão atmosférica e a temperatura elevada são fatores agravantes); procurar abastecer em postos mais confiáveis, evitando promoções "milagrosas" que possam indicar adulteração do combustível; e, caso a detonação seja constatada, dirigir o veículo sem maiores esforços até submetê-lo a uma inspeção por um mecânico capacitado.

Escrito por : Dias
Editado pela última vez por Wilson em Quinta-feira 27th 2012f Setembro 2012 10:37:37 PM, em um total de 1 vez.


nakiru
:: Wind ::
Mensagens: 3
Registrado em: Segunda-feira 14th 2011f Novembro 2011 04:15:09 PM
Localização: Porto Alegre - RS
Modelo do veiculo: CORSA (DEMAIS)
Ano de fabricação: N/I

Mensagempor nakiru » Segunda-feira 14th 2011f Novembro 2011 04:49:52 PM

Wilson escreveu:Em condições normais, assim se processa a combustão, ou queima da mistura ar-combustível, que propicia o movimento do veículo: no final do ciclo de compressão do pistão é emitida a faísca da vela; a mistura inflama-se e a chama percorre gradualmente toda a câmara de combustão; os gases da queima então empurram o pistão para baixo, acionando a biela e o virabrequim, de modo a impelir o motor.

Quando algo não está dentro das especificações -- taxa de compressão muito elevada, ponto de ignição muito avançado, vela incorreta ou combustível de baixa qualidade, por exemplo --, a chama propaga-se de modo desordenado, o que eleva subitamente a pressão e a temperatura na câmara de combustão. Surge então uma combustão espontânea, uma segunda chama em outro ponto da câmara. Ao chocar-se com a chama original, gerada pela vela, a segunda chama provoca um ruído metálico ("grilo") que se assemelha ao de bolinhas de gude dentro de um copo. É a detonação ou, no vocabulário comum, "batida de pino" -- um termo equivocado, pois não há pinos para bater no interior do motor.

A detonação causa prejuízos ao produzir um deslocamento mais rápido dos gases da combustão, que se chocam contra os extremos da câmara e geram calor. Se a detonação persiste por algum tempo, a elevação de temperatura dos componentes pode levar a uma trinca no cabeçote, um furo na cabeça do pistão ou à fundição do cilindro.

Além da conservação de características equilibradas do motor, através de manutenção regular e, se for o caso, uma preparação feita com critérios, a detonação pode ser prevenida com alguns cuidados. Deve-se evitar a aceleração a fundo em baixas rotações sempre que houver maior risco, como ao subir uma serra litorânea (a maior pressão atmosférica e a temperatura elevada são fatores agravantes); procurar abastecer em postos mais confiáveis, evitando promoções "milagrosas" que possam indicar adulteração do combustível; e, caso a detonação seja constatada, dirigir o veículo sem maiores esforços até submetê-lo a uma inspeção por um mecânico capacitado.

Escrito por : Dias
Muito interessante!

Valeu amigo!


RicardoStana
:: Wind ::
Mensagens: 3
Registrado em: Segunda-feira 05th 2012f Março 2012 09:33:52 PM
Localização: Praia Grande - SP
Modelo do veiculo: CORSA (DEMAIS)
Ano de fabricação: N/I

Mensagempor RicardoStana » Domingo 25th 2012f Março 2012 10:54:20 AM

Wilson.

O motor do corsa 1.0 2001 tem regulagem de valvula, quantos km é recomendado fazer a regulagem, qual é o ideal de regulagem?


Ricardo S.
Corsa Wind 1.0 8V Mpfi 2001 4P.


Voltar para “Tutoriais”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante