[INFO] - Carro por assinatura, consórcio e leilão: quais as diferenças?

Informe-se aqui a respeito das principais leis de trânsito. Saiba tudo sobre o Código Brasileiro de Trânsito, infrações, multas, recursos, alterações no carro que são ou não permitidas, etc.

Moderadores: Clovisbn SE/SP, Organizadores do Fórum



Responder


Avatar do usuário
Wilson
:: Administrador ::
Mensagens: 2444
Registrado em: Segunda-feira 03 2003f Novembro 2003 04:50:44 PM
Localização: São Paulo - SP
Modelo do veiculo: CORSA GSI 16V
Ano de fabricação: 1996
Contato:

[INFO] - Carro por assinatura, consórcio e leilão: quais as diferenças?

Mensagem por Wilson » Segunda-feira 25 2019f Novembro 2019 08:49:56 PM

Imagem

Quem nunca sonhou em ter um carro próprio e, assim, conseguir se locomover sem depender de transporte público ou da carona de familiares ou amigos?
Nos últimos tempos, aliada a todas essas vantagens, está, ainda, a possibilidade de usar o veículo como um meio de trabalho, atuando como motorista de passageiros em uma das muitas plataformas disponíveis atualmente, como a Uber ou a 99 Taxi, por exemplo.
Para ter em mãos um carro novo ou seminovo, existem possibilidades diversas, tais como o consórcio, o leilão ou por serviço de assinatura. Qual dessas é a melhor opção? Quais são as diferenças entre essas três alternativas?
Se você está pensando em comprar um carro, não faça isso sem antes conferir todas as informações que disponibilizamos aqui. Boa leitura!

Carro por assinatura: o que é e como funciona?

Carro por assinatura é uma opção que tem crescido bastante no Brasil, seguindo a tendência de outros países, como os Estados Unidos. Quando falamos em “carro por assinatura”, não nos referimos à compra de um automóvel em si, já que, nesse sistema, o usuário apenas utiliza o veículo, sem adquiri-lo como propriedade.
Explicando um pouco melhor, o serviço de assinatura de veículos consiste em planos mensais ou anuais de aluguel de carros. Oferecidos por locadoras, seguradoras e startups, esses planos acabam sendo opção para quem quer utilizar o veículo como um meio de trabalho.
Os preços desse serviço dependem de alguns fatores, a ressaltar, o modelo do veículo, o tempo em que ele será alugado e se é ou não um carro zero-quilômetro.
Entre as principais vantagens do uso de carros por assinatura, está o fato de que, nesse serviço, o usuário não tem que arcar com gastos relativos ao veículo, como licenciamento ou IPVA. Aliás, na maioria dos contratos, consta que revisões e manutenções mecânicas também devem ser feitas pela empresa proprietária do veículo.
A grande desvantagem é que o usuário continua sem ter um carro próprio. Se utilizasse o mesmo dinheiro que usa para o pagamento das mensalidades, poderia, inclusive, financiar seu próprio veículo.

E o carro por consórcio, vale a pena?

O consórcio de veículos é, na prática, uma compra coletiva, regulamentada pela Lei federal 11.795/2008. Essa opção é utilizada, sobretudo, quando não existe a necessidade de ter o bem (seja ele um automóvel ou um imóvel, por exemplo) imediatamente.
Por que isso é assim? No consórcio, um grupo de pessoas, administrado por uma empresa, arca por parcelas mensais, que é o valor de mercado do bem consorciado. A soma de todas essas parcelas mensalmente torna possível a aquisição de um ou mais desses bens.
Desse modo, todos os meses, acontece um sorteio, que define um ou mais consorciados selecionados para adquirir a chamada carta de crédito, que possibilita a compra do bem à vista. Em realidade, um consorciado pode levar meses ou até anos para ser sorteado e conseguir o bem, dependendo da duração do consórcio.
A grande vantagem dos consórcios é que, nesse modelo de compra, não há juros. Podem participar de consórcios pessoas físicas ou jurídicas.
Para saber mais sobre o consórcio de veículos, veja este artigo do Doutor Multas sobre o tema.

Comprar carro em leilão é indicado?

Por fim, vou falar sobre outra forma de compra comum no Brasil, a por meio de leilão. Nos leilões, costumam ser negociados veículos que se enquadram em uma das características a seguir.
- Foram apreendidos pelos órgãos de trânsito: no art. 328 do CTB, consta que veículos apreendidos ou removidos que não forem reclamados por seu proprietário em até 60 dias poderão ir a leilão.
- Não tiveram as prestações do financiamento quitadas pelos proprietários.
- Têm algum tipo de defeito devido a, por exemplo, uma enchente.
Como se pode ver, é possível adquirir, via leilão, carros em bom estado ou, até mesmo, sucatas (que pode ser interessante para quem trabalha com mecânica ou atividades semelhantes). Por isso, é indispensável atentar-se para as condições do veículo, para que, no fim das contas, a negociação não traga prejuízos.
A grande vantagem desse método é a economia, desde que as condições do veículo atendam às necessidades do comprador.
Conheça aqui maiores informações sobre leilão de veículo. E saiba onde investir.

Qual método de compra é o mais indicado para mim?

Vimos, aqui, três formas diferentes de adquirir um veículo ou alugá-lo a longo prazo. Para escolher qual desses métodos é o melhor para você, avalie os pontos positivos e negativos que apresentamos em cada tópico, com atenção para o quanto você está disposto a gastar e com qual urgência você necessita do veículo.

Fonte e créditos: https://doutormultas.com.br/





Responder

Voltar para “Leis de Trânsito”